JUSTIÇA
15 de Maio de 2018

Réu denunciado pelo MP é condenado a 34 anos de prisão por feminicídio ocorrido em Britânia

O Tribunal do Júri de Aruanã condenou Nelson Tomaz da Costa a 34 anos de prisão em regime inicialmente fechado, pelo assassinato de Lenira da Silva e Daniel dos Santos Pereira em Britânia, no dia 9 de maio de 2015.

O crime ocorreu com a qualificadora de motivo fútil e, em relação à vítima Lenira Silva, contra a mulher por razões da condição de sexo feminino (feminicídio). A sessão do júri, que foi presidida pela juíza Ana Amélia Inácio Pinheiro, aconteceu no último dia 10, sendo a acusação sustentada pelo promotor Hélio Vitor Ferreira Petroni.

Segundo apontado na denúncia, no dia do crime, por volta das 16h30, no Bar do Teodoro, localizado no Setor Vila Esperança, em Britânia, Nelson Tomaz chegou no local e assassinou ambos com diversos tiros de revólver calibre 38. Conforme sustentado, o réu e Lenira mantinham um relacionamento amoroso há vários anos, com episódios de agressão e, inclusive, estupro da vítima.

No dia do crime, após mais de um ano do fim do relacionamento e tendo a vítima já mantido um relacionamento estável com outra pessoa, o réu ingeriu bebida alcoólica durante todo o dia no Bar do Teodoro, localizado em frente à casa em que o atual companheiro da vítima morava.

Embriagado, Nelson Tomaz começou a insultar Lenira, que também estava ingerindo bebida alcoólica no quintal da casa de seu companheiro. Na tentativa de revidar os insultos, Lenira pegou uma tesoura e foi ao encontro de Nelson no bar, mas foi imediatamente retirada de lá pelo namorado, que chegou a pedir desculpas ao réu.

Contudo, Nelson deixou o bar e retornou portando o revólver, com o qual desferiu os disparos contra as vítimas. Antes do crime, ele direcionou ao grupo de Lenira repetidas vezes a seguinte frase: “Vocês agora não vêm aqui não, porque eu agora estou preparado”.