VIOLÊNCIA
26 de julho de 2018

Menor é apreendido horas depois de cometer assassinato bárbaro em Anápolis

Uma operação conjunta das polícias Civil e Militar levou à apreensão de um adolescente no início da noite de terça-feira (24). O menor era procurado pelo assassinato de Luciene Avenila Lima, de 46 anos, morta horas antes a golpes de faca, no Conjunto Morada Nova, região leste de Anápolis.

Durante a manhã daquele dia, o pai da vítima foi visitá-la e encontrou a filha morta, com requintes de crueldade, dentro de casa. O homem notou, ainda, que um telefone celular e um aparelho de som da residência haviam sido subtraídos. Com a chegada da Polícia Técnico-Científica no local foi constatado que Luciene teve a cabeça e o cérebro esmagados com o cabo de uma faca, além de ter uma das orelhas arrancada.

As investigações, que tiveram início imediato, apontaram as suspeitas para um adolescente recém liberado do Case (Centro de Atendimento Socioeducativo) de Anápolis. O menor é filho de Valdeli Alves da Silva, um cigano que, em 2013, comandou a chacina de cinco pessoas no bairro Gran Ville, também na região leste da cidade. O adolescente já havia sido visto por vizinhos na casa da vítima, que morava sozinha, e essa nova informação reforçou ainda mais as suspeitas dos policiais.

Ao ser localizado e levado à delegacia, o menor não somente confessou o crime, como também delatou a irmã, Jéssica Dias Soares, que é maior de idade. Segundo o jovem, Jéssica foi a responsável pelo planejamento do ato. Ela também foi presa. Segundo o adolescente, Luciene foi morta porque ela não autorizou criminosos a esconderem carros roubados dentro do quintal da casa dela. Antes de quebrar o crânio de Luciene, o rapaz apreendido disse ter dado várias pesadas na cabeça da vítima. A lâmina da faca, que é artesanal, foi usada apenas para cortar a orelha da mulher, repetindo a marca do pai quando assassinava pessoas.