POLÍTICO DIFERENTE
5 de Maio de 2018

Polêmico e popular, ex-prefeito de Piracanjuba é pré-candidato a deputado estadual

Sem papas na língua, sem fazer concessões aos vícios do sistema político, com seu estilo mais rústico, o ex-prefeito de Piracanjuba, Amauri Ribeiro (PRP), anuncia que é pré-candidato a deputado estadual. É diferente dos políticos tradicionais por falar o que pensa. É diferente até no figurino: não tira o chapéu da cabeça e é adepto de um estilo mais sertanejo.

Amauri não foge de uma polêmica, tem fama de brigão, mas é também – até por adversários – reconhecido como político idôneo, sem qualquer mancha no que diz respeito ao erário público. Fez uma gestão técnica e eficiente, com ampla aprovação popular.

CHAMADO DE LOUCO

“Quando fui candidato a prefeito, fui chamado de louco. Um cara sem dinheiro, sem grupo político e sem sequer um vereador do lado, um candidato numa chapa puro-sangue. Meu partido possuía apenas 5 pessoas, entre elas foi escolhido o vice. E esse louco ganhou a eleição”, resume sua experiência na campanha para prefeito da capital das orquídeas.

Após quatro anos de uma gestão de cargos técnicos e não políticos, Amauri tinha 79% das intenções de votos à reeleição. O normal seria qualquer político seguir o curso natural e continuar no poder. Mas ele disse não. “Chamaram-me de louco por não querer continuar, mas havia me cansado do sistema podre de nossa política”, disse.

“Após esse tempo fora da política, percebi que só podemos mudar o cenário com mandato nas mãos, só assim temos espaço na mídia, só assim podemos brigar pelo correto e buscar um município, um estado e um país diferente. Tenho ideias e vou atrás da realização delas”, disse Amauri, justificando a reviravolta na decisão de abandonar a vida pública.

Questionado sobre quais serão suas bandeiras, Amauri Ribeiro, fiel ao seu estilo, não titubeia. “Não tenho bandeira. Defendo o correto sempre. Defendo uma forma diferente de fazer política”, afirmou.

SEM GRUPO POLÍTICO

Ele conta que sua campanha a deputado será feita nos mesmos moldes da cruzada pela prefeitura. “Não tenho comigo nenhum figurão. As lideranças políticas, na maioria, querem algo em troca de apoio. Não faço barganhas. Tenho simplesmente o povo e Deus do meu lado”, revela. “O resto que se dane”.

FIEL AO PRP

Há seis anos, Amauri foi eleito pelo PRP, partido que continua até hoje, algo raro na política. “Fui convidado por partidos maiores e menores para me filiar. Não sou macaco que pula de galho em galho. Sei que em legendas menores teria mais chance de eleição, mas nunca tive medo da batalha, seja com quem for”, justifica ao seu modo.

LEMA

“Meu lema é: podem me chamar de brigão, por buscar o correto, mas nunca me chamarão de ladrão”, resume seu estilo de vida tanto na política como na vida.